IMPRENSA

“Mais que um valor emergente, Telmo Pires é já um valor seguro do fado. Um nome e uma voz que devem ser seguidos com muita e cuidada atenção, pois ou muito me engano ou está ali a nascer uma nova estrela!”
Joao Afonso, Tradisom, Abril 2016.

 

Telmo Pires aparece como uma das novas vozes e imagens do fado no masculino.”
Nova Gente, Março 2016.

 

“Um dos mais fascinantes discos de fado que me foi dado nos ultimos tempos.” |
Edgar Canelas, ANTENA 1.

 

“Telmo Pires apresentou um disco de grande qualidade e ao vivo mostrou uma postura que pode marcar a diferença no Fado.”
Rui Lavrador, infocul.pt, Fevereiro 2016

 

“Telmo sabe o que faz e irradia uma luz muito especial naquele palco.
A empatia entre o público e o cantor é fantástica.
Uma paixão profunda muito bem controlada, uma execução sem mácula, profissionalíssima, em que Telmo dá generosamente o palco aos seus músicos. O público delira. A sua voz não se esgota, não encontra o limite. (…)
O concerto termina com ovações em pé do entusiasmado público que não se quer despedir deste fantástico artista e dos 90 minutos de espectáculo que todos sentiram passar num sopro.” | Portugal Post, Abril 2016

 

“Telmo Pires é um mágico do seu género.” | Die Welt

 

“Certas vozes assumem imediatamente forma e enchem uma sala com a sua presença física. A voz de Telmo Pires é uma delas.” | Westdeutsche Allgemeine Zeitung, WAZ

 

“Telmo Pires, um cantor em ascensão!” | Contacto, Luxemburgo

 

“A voz do fado: o músico nascido em Portugal personifica – também graças ao seu excelente conhecimento da lingua – o protótipo de um europeu moderno.” | Report (Jornal da comunidade germano-portuguesa).

 

“O fado interpretado de uma forma moderna, límpida e nem um pouco lamechas. O público aplaude demoradamente de pé e pede bis.” | Neue Westfälische

 

“O cantor carismático encontra sempre uma interpretação muito individual para a música da alma portuguesa, vergando-se com grande consideração perante a tradição, sem esquecer no entanto as influências de uma vida em Berlim.” | Zitty, Revista Berlim.